ALARMES

A questão da segurança nos dias atuais é cada vez mais assustadora. O número de violência e roubos cresce a cada dia. Este cenário configura grande demanda dos cidadãos que investem em proteção com sistemas de circuito fechado de TV (CFTV), cercas elétricas e alarmes.

Empresas e profissionais da área de segurança procuram cada vez mais explorar essa necessidade incessante por proteção.

Você técnico que entende dessa demanda e pretende conhecer a importância e a forma de instalar o alarme residencial acompanhe este post.

A importância do alarme residencial

Um bandido escolhe com cautela a residência antes de realizar o roubo. Nesta escolha o critério mais importante que ele analisa é o grau de dificuldade. Quanto mais sistemas de segurança uma casa tiver, menor é a chance de ela ser roubada. Desta forma, a presença do alarme residencial, informada por meio de placas ou notada pela própria sirene fixada, possui

papel importante na prevenção do roubo.

Outra importância do alarme residencial trata-se da sua atuação passiva. Diferente de cercas elétricas ou concertinas ele evita o sinistro sem a ocorrência de danos físicos ao infrator. Além disso, possui a capacidade de atuação conjunta: os vizinhos podem se organizar de modo que caso ocorra disparo de algum alarme todos os demais podem realizar manobras como por exemplo soar apitos indicativos ou acionar a polícia.

Como instalar um alarme residencial

Qualquer alarme básico possui os seguinte equipamentos:
• Detectores de perímetro que acionam quando percebem a entrada do infrator na residência;
• Sensores que acionam quando percebem a presença do intruso dentro da residência;
• Central de alarme;
• Bateria para que o alarme funcione mesmo na ausência de energia elétrica;
• Sirenes;
• Controle remoto para ligar e desligar o mesmo.

A instalação é simples mas requer alguns cuidados. Detalhes específicos o instalador encontra no manual do produto.

A central de alarme deve ficar alojada dentro da construção, protegida de sol e chuva. Uma tomada de energia elétrica alimentará a central;

A bateria fica alojada dentro da central. Ela precisa ser devidamente conectada. O manual do produto informa como isto é feito;

Os detectores de perímetro são instalados em cima de muros. Eles devem estar corretamente dispostos de forma a fechar o perímetro de proteção evitando brechas que podem ser aproveitadas pelo criminoso. Além disso, galhos de árvore que possam invadir o perímetro devem ser cortados evitando acionamento indevido;

Os sensores de movimento devem ficar em locais estratégicos evitando seu direcionamento a locais como ruas e avenidas;

As sirenes devem ficar em locais protegidos de vandalismo mas visíveis para coibir a ação de invadir.

Depois de fixados os detectores de perímetro, instalados os sensores de movimento e as sirenes, seus cabos são levados até a central. A tomada de energia elétrica deve ser a última a ser conectada. Terminada a instalação, o profissional executa testes nos detectores de perímetro e nos sensores de movimento. Em todos os locais de teste a sirene deve disparar.

Caso exista cerca elétrica no imóvel, ela pode ser integrada ao alarme fazendo com que haja o acionamento deste quando o infrator encostar na cerca elétrica.

Alarmes mais sofisticados possuem ainda discadores para realização de ligação telefônica automática bem como possibilidade de criação de senhas para vários usuários.

WhatsApp chat